Now Playing Tracks

danielemayara:

Você combinou de jantar com a namorada, está em pleno tratamento dentário, tem planos pra semana que vem, precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no carro e no meio da tarde morre. Como assim? E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente?
Não sei de onde tiraram esta idéia: morrer. A troco? Você passou mais de 10 anos da sua vida dentro de um colégio estudando fórmulas químicas que não serviriam para nada, mas se manteve lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física, quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway, numa artéria entupida, num disparo feito por um delinqüente que gostou do seu tênis. Qual é? Morrer é um clichê. Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém, sem ter dançado com a garota mais linda, sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida. Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e penduradas também algumas contas. Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas, a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira. Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu! Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce, caminha por 1 rua e talvez não chegue na próxima esquina, começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer. Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã. Se faz check-up regulares e não tem vícios, morre do mesmo jeito. Isso é para ser levado a sério? Morrer cedo é uma transgressão, desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero. E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. Só que esta não tem graça!

(Pedro Bial)

Você foi o único que me fez ficar tímida, que me deixa sem palavras, sem ação, que faz meu coração disparar mesmo de longe e que só com um sorriso deixa meu dia inteiramente feliz, não desperdice esse poder que você tem sobre mim, um dia ele pode simplesmente acabar!

Uma data. Um lugar. Um momento. Muitas lágrimas. Muitos sentimentos. Uma só pessoa. 08/10. Morumbi. Justin Bieber. Eu sei que é dificil tentar descrever o motivo pelo qual eu chorei, eu gritei, mas amor não se descreve, não se julga, não se caracteriza. Não sei explicar bem o que se passou naquele exato momento em que o cronometro marcou 0, quando um menino apareceu bem em cima do palco e me fez chorar, me fez sentir de uma forma que eu nunca havia sentido antes. Um sentimento de realização talvez, mas eu sabia que era mais que isso, era orgulho de ver um estádio com 60.000 pessoas lotado para ver um único rosto e ouvir uma única voz, era a prova de que aquele garotinho que dizia querer estar na tv conseguiu mais que isso, conseguiu conquistar o coração de cada alma que estava la e mais de milhões de pessoas mundo a fora, pessoas que fizeram de tudo para estar naquele momento, que enfrentaram um sol inuportável, um fila imensa, que ficaram sem comer direito, que passaram mal, que desmaiaram, que ficaram de baixo de chuva sem capa, que sentaram em um lugar desconfortável, porém bom o suficiente para vê-lo nem que fosse de longe, pessoas que tiveram seus corações parados e ao mesmo tempo acelerados quando começou a escutar o toque de Love Me e que não pararam de chorar um segundo se quer e que por mais que estivessem lá, não conseguiam acreditar que seu sonho estava se realizando, aquele menino que antes víamos apenas na tv, alguém muito distante de nossa realidade estava bem em nossa frente, cantando e dançando, sorrindo e encantando todos. É eu estava lá e passei por muitas coisas que teriam feito muitos desistirem, mas mesmo assim, quem ama, sabe que tudo vale a pena pra terminarmos a noite realizadas e acreditando que nossos sonhos podem se realizar, Never Say Never, certo ? Ser belieber é muito mais do que saber cantar as músicas, saber tudo sobre sua vida ou sua família, mas é sentir em seu coração a emoção de estar naquele estádio com mais 59.999 pessoas e olhar em volta e ver tudo lindo, não conseguir evitar lágrimas caírem quando escutamos aquela doce voz, é sentir sua vida perfeita quando assistimos talvez o show mais incrível de nossas vidas, é isso é ser uma belieber, um sentimento que não se pode ser explicado e sim sentido. E se hoje eu pudesse pedir alguma coisa pediria para poder agradecer o Justin por esse momento, porque foi nesse momento que eu senti qual a sensação de se realizar um sonho e de não deixar diversas barreiras destruí-lo, porque eu sei que faria a mesma coisa centenas de vezes só pra acabar a noite como eu acabei neste sábado, feliz, inteiramente feliz! (Thais Amaral)

To Tumblr, Love Pixel Union